Vai, Gordinha!

Vai, Gordinha! – que pé que tá?

16/03/2015

Olá, pessoal!

Venha hoje falar um tiquinho sobre a minha trajetória para uma vida melhor. Se está fácil? Por incrível que pareça, tá fácil e bem de boa (se eu falar que to sofrendo, é mentira). Mas é claro que tem vezes que eu quero me entupir de McDonalds, coxinha, pastel, brigadeiro, bolo, coca-cola…

A cada semana que passa, eu estou me sentindo mais disposta, com mais vontade de continuar nessa ‘luta’. É algo que estou fazendo por mim e para mim, em busca de uma vida saudável e melhor. Emagrecer é consequência disso tudo e, claro, fico muito feliz quando vocês comentam nos posts me incentivando, me parabenizando. Não quero atenção para inflar meu ego. É simples e puramente para compartilhar com vocês a minha trajetória. E eu acho que, quando você parabeniza uma pessoa que está tentando mudar pequenos detalhes que a incomodam, não é um ‘insulto’. Ser/estar gorda não é uma ofensa, longe disso, quem se aceita do jeito que é é algo grandioso. Mas existem pessoas  que – assim como eu -, necessitam de uma mudança ou querem mudar para se sentirem melhor e os elogios e “parabéns” ajudam a nos motivar ainda mais. 😉

Quando eu comecei os treinos, existiam duas coisas incomodas que aconteciam com frequência: enjoos e tonturas. Como fiquei muito tempo sem praticar nada, sem mexer essas banhas e ossos, perdi flexibilidade e agilidade. Quando passeia fazer exercícios, é claro que meu corpo estranhou – e muito! Comecei a sentir dores, tonturas e enjoos quando excedia muitos nas cargas dos exercícios.

Depois de pesquisar, perguntar e ficar preocupada, descobri que era normal sentir isso até o corpo acostumar. E sentir enjoos, pode ser pela falta de carboidratos bons no corpo durante os exercícios. Tive que me acostumar a comer 1 hora antes de treinar (e comer algo que tenha carboidratos bons, como banana ou uma fatia de pão integral, e evitar aquelas bolachinhas tipo Club Social que são “calorias vazias”). Dito e feito, depois de um tempo, eu não sinto mais enjoos e nem tonturas.

Depois da minha avaliação física, a Jéssica (minha professora) me recomendou a fazer algumas alterações na alimentação, tais com: evitar pão branco (pão francês), evitar margarina/manteiga, sempre preferir produtos menos calóricos, cortar refrigerantes, não ingerir líquido enquanto como, trocar o açúcar por um açúcar mais magro, evitar sal, beber mais água… são coisas que praticamente todo mundo já sabe, né? E convenhamos, nem são mudanças tão drásticas assim, mas são coisas que nos descuidamos e que podem fazer mal ou atrapalhar quem quer perder uns quilinhos.

Além disso, o meu treino é diferente daquele treino que eu estava acostumada quando lembrava de academia. A academia Motricidade trabalha com treinos que vai depender do seu objetivo. No meu caso, eu quero emagrecer, reduzir a porcentagem de gordura, ter um fortalecimento muscular e melhorar meu equilíbrio. Achei interesse esse tipo de treino porque: todos os dias, eu treino braço, perna e abdome. Praticamente tudo visa você fazer com o peso do seu próprio corpo e  a musculação entra junto para “fechar” o ciclo e ajudar nestes objetivos.

Meu fôlego anda melhorando muito, além de perceber que minhas pernas e meus braços andam mais “fortes”. Para vocês terem uma ideia, passei por um período meio estressante entre fevereiro e o começo deste mês, e quando saía do trabalho e ia pra academia, eu me sentia bem melhor depois do treino. Praticamente, usei a academia para extravasar meu ódio, minhas angústias e meu estresse. Ando dormindo melhor, comendo melhor e me sentindo melhor comigo mesma.

Ainda sinto muitas dores, ainda sinto que preciso melhorar e “extrapolar’ meu limite para poder sempre superar, mas é algo que está fazendo muito bem pra mim e pra minha autoestima. Acho que, por ter essa necessidade de mudança, por estar num ambiente tão gostoso, eu não tive – nenhuma vez – vontade de largar, de mandar à merda, de tocar o foda-se (desculpem os termos, mas é basicamente isso mesmo. E tem o fator que, desta vez, eu estou bancando todos os gastos, ou seja, quer queira, quer não, isso é um fator “motivante” hahahaha).

11801096956_216c7e7292_o

Estou pensando em fazer um post com perguntas e respostas! Caso vocês queiram, podem deixar suas dúvidas nos comentários para que eu responda no próximo post! Vou adorar ajudar vocês!

Fiquei muito feliz pelos comentários que ando recebendo e mais feliz ainda de estar ajudando e motivando pessoas que passavam o mesmo que eu! Lembrem-se sempre: força, foco e bacon! o/

Um beijo e até mais! 😉

***

Acompanhe o Stuck on Them: Facebook | Twitter | Instagram | YouTube ❤

You Might Also Like

4 Comentários

  • Reply Leylanne 17/03/2015 at 22:36

    Oi Priscila!

    Incrível como leio a série “Vai, gordinha!” e como fico feliz a cada evolução sua! Parabéns pelos resultados, e siga em frente. Lembro que tenho que sair da vida sedentária e fazer alguma coisa pra melhorar minha saúde =)

    Abraço!

    • Reply Priscila Guerra 25/03/2015 at 23:42

      Muito obrigada, Leylanne!
      É sempre bom melhorar. Isso faz a gente se sentir melhor consigo mesmo! 😀

      Beijos!

  • Reply Juh Claro 23/03/2015 at 14:27

    Oi, Pri! Tudo bom?
    Adoro encontrar pessoas que estão passando pelas mesmas coisas que eu haha e agora vou acompanhar sempre seus posts do projeto 🙂 Também estou com um projeto lá no blog, mas está difícil de me manter na linha, não sei bem por quê.
    De qualquer forma, ver outras pessoas se motivando me motivam também!
    Estamos juntas nessa 🙂

    Beijos.

    • Reply Priscila Guerra 25/03/2015 at 23:45

      Oi Juh!
      Fico feliz por você estar acompanhando os posts! Espero ajudar 😀
      Eu entendo bem sobre ‘se manter na linha’. É muito difícil, mas a gente tem que ter muita força de vontade para seguir em frente! o/

      Beijos!

    Leave a Reply