Vai, Gordinha!

Vai, Gordinha! – Foco, força e… bacon!

09/02/2015

Eu pensei muito antes de fazer esse post. Fiquei com medo da aceitação e das críticas que podem vir. Mas, depois de muito pensar eu resolvi fazê-lo. E vai ser um post longo.

Como eu disse no meu post anterior, o único desejo que não realizei nesses últimos 4 anos era estar magra para a minha formatura. Então, cansada de me sentir com dores nas pernas e gorda, resolvi mudar.

Mas, antes de tudo, vamos voltar no tempo. Mais precisamente em 2010. Naquele tempo, eu estava no cursinho. No final de 2009, eu havia engordado muito e, quando começaram as aulas, eu estava pesando 90 quilos, usando calça 46. Ok, todo mundo que me via, falava que era impossível eu estar com aquele peso, mas eu estava com aquele peso e estava me sentindo muito mal com isso. Aí, minha amiga Nathalia indicou uma academia só para mulheres e, como eu havia gostado da proposta, fui com tudo! Eu lembro que comecei bem no início de março daquele ano e eu sofri bastante.

Só que, eu estava acostumada a fazer tudo a pé. Ia pra escola a pé, saía pra caminhar, às vezes saía para encontrar minhas amigas a pé. Só sei que foi uma perda de peso gradativa. Nada rápido demais, nem demorado demais. Percebi que eu havia perdido bastante peso quando comecei a entrar em calças tamanho 40/42. Foi um sonho realizado. Eu quase não me pesava, mas lembro que da última vez que me pesei, estava com 65 quilos. Em menos de um ano, consegui perder 30 quilos. Sim, era um sonho.

Em 2011, entrei na faculdade. Tirei carta. Comecei a namorar. Minha rotina mudou da água pro vinho. Eu saia mais pra comer, mas mantinha minha rotina de sair a pé. Mantive meu peso neste ano. Em 2012 foi o ano que deu um ‘boom’ em minhas gorduras: fiquei praticamente 6 meses sem menstruar. Fui diagnosticada com Síndrome do Ovário Policístico e passei a tomar anticoncepcional. O primeiro que tomei, Diane 35, me fazia mal pra caramba, mas não me engordou nada. O segundo Yaz – que é o que tomo até hoje – foi o que começou a fazer a diferença no meu corpo.
Aí juntou os fatores: o remédio fez meus peitos e quadris duplicarem de tamanho, eu só andava/ando de carro. Tico e eu comemos MUITO e andamos de menos. Comecei a engordar.

Foi a partir de 2012, então, que perdi o corpo que eu lutei pra ter conquistado. O pior de tudo foi que eu demorei pra perceber que estava engordando de novo. E, por estar namorando, eu meio que me descuidei um pouco, acabei me acomodando. Só fui cair na real mesmo, quando minhas calças param de servir; quando minhas blusinhas casuais não entravam mais ou quando percebi meu rosto inchado e.. gordo. Neste dia, antes de dormir, eu chorei muito. Mas chorar não adianta, certo?

Claro que neste tempo todo, eu tentei voltar pra academia. Mas sempre acabava não dando certo ou eu arranjava uma desculpa para não ir. Eu não me sentia motivada nem pelo meu namorado e nem por mim. Eu parei de me olhar no espelho – confesso que até hoje não olho muito, só quando vou secar meu cabelo, escovar os dentes e olha lá… Quando fui comprar vestido de formatura, e não achava um número que me servisse, também entrei em crise. Queria uma fórmula mágica para ser linda e magra e ficar elegante. Mas não foi bem isso o que aconteceu.

Eu não tenho vergonha de ser como eu sou, longe disso, sempre fui muito discreta. Apoio tudo o que é contra a gordofobia. Acho mulheres gordas e gordinhas maravilhosas e eu tentei de tudo me aceitar como sou. Não é vergonha, é me sentir bem comigo mesma, sabe? Então, levantei minha bundona da cadeira, e sem pedir a opinião de quase ninguém, fui na academia perto do meu trabalho e me inscrevi. Tive vergonha sim, e ainda tenho. Me sinto deslocada, desengonçada, como se fosse um monte de banha pulando no jump, mas foda-se. Dessa vez, só dessa vez, estou fazendo isto por mim para mudar algo que pode me fazer ter problemas sérios de saúde mais pra frente – porque né, eu não sou mais uma garotinha no auge dos meus 18 anos, convenhamos.

Hoje, oficialmente, foi meu primeiro dia. Quero deixar claro algumas coisas: não, esse blog não será focado em dietas doidas e em coisas fitness. Quero abordar o assunto mas de uma maneira saudável, mostrando minha evolução para vocês.

Começo, então, a nova tag do blog (que pode até virar vlog, quem sabe): Vai, Gordinha! Pensei em posts mensais, falando um pouquinho sobre a minha evolução (ou não). Espero que isso me motive ainda mais para continuar a mudar meus hábitos e que eu possa ajudar quem estiver passando pela mesma situação. Abaixo, minhas fotos mais recentes (postando e morrendo de vergonha):

FB_IMG_1423442058183-1

Foto do baile de formatura que aconteceu Sábado, 07/02/0215.

20150209_191341-1

Foto de hoje, 09/02/2015, depois do primeiro dia oficial na nova academia. Vermelha e suada, sim. E eu não sei tirar foto no espelho, bjs.

Bom, pessoal, é isso. Eu resolvi compartilhar isso com vocês, porque vejo que muita gente passa pelo o que eu passo. E por ser tímida, acho que certas coisas ficam ainda piores. Mas, eu tenho certeza que tudo vai melhorar e, para isso, depende somente de mim mesma.

Se vocês quiserem compartilhar suas histórias comigo, podem comentar no post! Eu adoro muito saber sobre vocês! 😀
E que comecem os trabalhos – mas pode comer um tiquin de bacon no final de semana, rs! 😛

Beijos e até mais! :*

***

Acompanhe o Stuck on Them: Facebook | Twitter | Instagram | YouTube ❤

You Might Also Like

6 Comentários

  • Reply Paola 09/02/2015 at 23:11

    Pri! Apesar de não comentar no blog com frequência, gosto muito das tuas postagens.
    E hoje em especial eu queria te dar um baita abraço e dizer que tu está sendo incrivelmente corajosa em perceber que se tu não fizer alguma coisa, nada vai mudar, e muito mais em compartilhar isso com os teus leitores.
    Se sentir bem com o corpo é mais do que muita gente consegue imaginar, e não importa se tu é gordinha ou magrinha, o que importa é que tu se sinta bem com a tua aparência e principalmente ciente de que o mais importante é a tua saúde, física e mental.
    Pode acreditar, desanimar em um dia, quando tiver chovendo, caindo o mundo e você estiver irritada com algo, vai ser normal. Mas não perde teu foco em se sentir melhor.
    Comecei academia mês passado e ainda fico olhando as minas de regatinha e calça colada, com bunda dura e tudo no lugar, e me pego olhando pras minhas pernocas, flácidas, com celulite e com estria, mas quanto mais eu faço isso, mais eu mentalizo que pernas definidas e sem chacoalhar só dependem da minha força de vontade. E ue se elas são assim foi porque já trilharam um longo caminho. E vamos chegar lá um dia 😀
    Espero poder estar aqui todos os meses pra acompanhar tua caminhada.
    Estou torcendo por ti, que todas as boas energias do mundo te ajudem a seguir sempre em frente, sempre determinada e focada no que tu deseja ;D

    Beeijos :*
    @pirulitolimao

    • Reply Priscila Guerra 10/02/2015 at 14:32

      Paola, obrigada pelo seu comentário!
      Eu não curto ficar reparando nas pessoas ao meu redor: já fiz muito isso e me deixava super pra baixo. Espero que essa caminhada seja boa e gradativa. Não tô afim de resultados rápidos, só quero voltar a me sentir bem comigo mesma, o que vai ser um avanço e tanto.
      Fico muito feliz de vc acompanhar o blog e espero ajudar você e tantas outras pessoas com essas postagens.

      Mais uma vez, muito obrigada!
      Beijão! <3

  • Reply Mariana Melo 09/02/2015 at 23:44

    Parabéns pela iniciativa, Pri!
    Acho que esse termo “gordofobia” tem sido usado equivocadamente por muitas pessoas… Sou contra essa ditadura estética contemporânea, mas acredito que tod@s devem sim buscar se sentir bem consigo mesm@, como você disse em seu post. Creio que a decisão de “mudança de hábitos” (pois nem sempre se limita ao emagrecimento) não envolva somente questões estéticas, mas de saúde.
    Um dos meus objetivos é levar uma vida mais saudável, principalmente superando o meu terrível sedentarismo e a alimentação a base de guloseimas. Infelizmente, ainda não tive a sua coragem e determinação, mas um dia chego lá!rs (Ok, estou começando a fazer caminhadas aos pouquinhos…)
    Por isso, te parabenizo pela iniciativa e pela postagem de incentivo.
    Desejo que você tenha êxito em sua jornada!
    Foco, força e… bacon, porque ninguém é de ferro, né?! 😉

    • Reply Priscila Guerra 10/02/2015 at 20:31

      Obrigada, Mariana!
      Eu passo pela mesma coisa: eu sou FANÁTICA por doces (se for brigadeiro, então…) e amo muito lanches. O que acontece: como demais, exagero e sou sedentária. Isso me levou a engordar – e muito!
      Para falar a verdade, eu não ligo muito para aparências, acredito que o caráter vale muito mais do que qualquer forma. Mas acho que chega um momento em que você precisa parar e avaliar se seus hábitos não vão influenciar daqui pra frente – no meu caso, está começando a afetar minha saúde. Mudanças, por mais que pequenas, são bem vindas.
      Espero que você consiga superar também!

      Muito obrigada pelo apoio! E um bacon de vez em quando não faz mal pra ninguém! 😛

  • Reply Letícia 10/02/2015 at 01:42

    Aeeeee, Pri, vai com tudo!! Vc é linda, o importante é se sentir bem e cuidar da saúde. Vc conhece uma blogueira chamada Ju Romano? O blog é o Entre topetes e vinis, acho o máximo. Ela discute muito a questão da autoaceitação, da babaquice que é a ditadura da beleza/magreza a que somos expostas… acho muuito legal, e de quebra ela posta uns looks lindos com a proposta de que todas podemos usar o que quisermos, valorizando o corpo que tivermos e sem crise!

    Beijoos, arrasa! :*

    • Reply Priscila Guerra 10/02/2015 at 20:34

      Oi Lê! Muito obrigada *-*
      Eu conheço sim, acompanho ela sempre (já peguei algumas dicas dela – inclusive a do meu vestido de formatura hahaha. Acho a opinião dela muito forte e compartilha um trabalho muito legal sobre autoaceitação. 😀

      Beijão!

    Leave a Reply