textos

E quem diria…

12/06/2013

 A probabilidade de encontrar alguém interessante na internet é grande, certo? De se apaixonar por uma imagem e por palavras também. Mas, encontrar alguém da sua cidade numa rede social enorme (o twitter), se apaixonar e começar um relacionamento era pequena, e as chances disso dar certo são míseras.

Porém, minha história com meu namorado, o Leandro (mais conhecido como Tico. Um dia me acostumo a chamá-lo desse jeito), começou exatamente assim. Por algum motivo, ele começou a me seguir no twitter. Eu não fazia ideia de quem era aquele estranho, com um avatar desenhado, divulgando seu blog. Achei que seria mais um seguidor qualquer, seguindo massas e que logo me daria unfollow. Eu não estava nos meus melhores momentos. Estava sofrendo por alguém que nunca se importou comigo, que nunca quis saber verdadeiramente como eu estava, como eu pensava, como eu sentia; uma pessoa que me colocou dentro de um pesadelo que eu não estava conseguindo sair. Eram enxurradas de textos e lágrimas e músicas que me deixavam pior, bem pior. E foi numa das minhas reclamações no twitter que dei um espaço para o Tico e ele começou a interagir comigo. Passamos a conversar a tarde toda por mensagens via twitter, mas não era o suficiente. SMS, telefonemas, provocações e uma promessa da parte dele que me conquistaria e que eu seria sua namorada. Apostei, claro, descrente de seu sucesso. No Skype, ao vê-lo a cada dia, conhecia mais aquele homem que fazia parte de um mundo tão diferente que o meu, que me fez ter outra perspectiva de vida. Ele me ajudou e me apoiou em grandes momentos, mesmo estando do outro lado da tela do computador. E quando não nos falávamos, eu sentia tanta falta dele. Era aquela saudade que chegava a doer; e isso sem, ao menos, conhecê-lo!
Um dia, depois de muitas mensagens trocadas, resolvi dar o passo para encontrá-lo. Eu tinha medo, estava insegura (tinha me ferrado da outra vez e não acreditaria que essa daria certo), mas queria ver ele de perto e saber se ele era real. Estava apostando todas as minhas fichas e “últimas esperanças” (ah, os dramas dos 18 anos…) naquele momento, naquele dia. E se eu não tivesse feito isso, teria sido um grande erro; teria deixado ele ir embora, escapado por entre meus dedos a oportunidade de conhecer e estar ao lado de um homem maravilhoso (mesmo que ele seja bem rabugento, às vezes…). 
Hoje, com quase 2 anos e meio de relacionamento, posso dizer que aquele foi um momento marcante em minha vida. Um momento em que conheci o homem que eu amo e que me ama e, me ajudou a deixar a imagem de menina para trás, assim como meus terríveis pesadelos; aquele que me ajudou e ajuda a crescer; o homem que me faz sonhar e planejar o nosso futuro e, ao chegar ao fim do dia, é aquele que me faz querer estar em seus braços, para ser reconfortada, para descansar e ficar em paz.
Podemos ter nossos momentos de brigas e discórdia, mas nada disso nunca nos atrapalhou. Nem os problemas mais sérios que não são necessários ser citados. Passado é passado. Sempre continuamos ali, firmes e fortes, um apoiando o outro, mesmo que do outro lado da tela do computador.
E quem diria que esse amor tão incerto daria tão certo?

Do nosso lindo amor, nasceu a Jujuba. A hamster mais fofa (gorda e tonta) dessa internets.

s2

You Might Also Like

  • TicoPagani 12/06/2013 at 00:06

    hehe sou eu
    Eu amo você, gorda s2s2s2s2s2

  • Ana Carolina Martins 12/06/2013 at 00:31

    nossa, o que tenho a falar e somente que desejo toda a felicidade do mundo pra vcs, qualquer coisa alem disso, soaria inapropriado, felicidades ao casal!

  • Ana Carolina Alves 19/06/2013 at 18:08

    Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh, será que um dia dou essa sorte?

    Eu to muito louca para arrumar alguém legal assim para mim!

    Ana.

    http://umlivroenadamais.blogspot.com.br/