dicas por aí

Semana SENAC de Leitura

23/04/2017

Olá pessoal!

Hoje, venho fazer esse post e um convite super especial para você que é de São Carlos e região! Como muitos sabem, sou apaixonada pelo universo geek e pelo universo da leitura, e nada melhor do que juntar os dois numa semana recheada de atividades num lugar super agradável, para estimular nossa criatividade e trocar experiências, né?

Do dia 24 ao dia 29 de abril, o SENAC vai realizar a Semana da Leitura e o tema deste ano é HQs e Leituras Fantásticas (e onde habitam).

Quem visitar a unidade São Carlos neste período poderá participar da Feira de Troca de Livros e Gibis, Exposição de Fantasias e Exposição de desenhos – Super-heróis, sempre das 9 às 21 horas.

Durante todo o dia 24 os visitantes poderão fazer seus próprios personagens na Oficina: Faça seu Super-herói. A partir das 18 horas, haverá Oficina: Maquiagem Artística e, na sequência, entre 19 e 20 horas, a Oficina: (As)saltando a Gramática, que se repete no dia 28, das 14 às 15 horas. No dia 25 a programação segue com o Workshop: Jogos de Tabuleiro, a partir das 15h30 e às 19 horas, o ilustrador Filipe Lucidi estará disponível para um bate-papo. No dia 26, acontece novamente a Oficina: Maquiagem Artística, às 18 horas e na sequência, as 19 haverá um bate-papo sobre Cosplayer. No dia 27, os visitantes poderão participar novamente do Workshop: Jogos de Tabuleiro, das 15h30 às 16 horas.

E ah! Se você também tiver interesse, pode participar da Feira de Troca de Livros, promovida pelo SENAC há mais de 10 anos e promove o estímulo ao acesso à leitura! Sabe aquele livro que está encostadinho aí, com poeira e você nem lembra mais dele? Então, traga ele para que outra pessoa descubra um novo mundo! <3

Tico e eu estaremos lá no dia na quarta-feira (26/04) e esperamos vocês para bater um papo, ok? 😉

Semana Senac de Leitura
Data: de 24 a 29 de abril de 2017
Horário: www.sp.senac.br/semanasenacleitura
Participação gratuita

Local: Senac São Carlos/ Endereço: Rua Episcopal, 700, Centro. Informações e inscrições: www.sp.senac.br/saocarlos ou pelo telefone (16) 2107-1055.

***

Me acompanhe por aí: Facebook | Twitter | Instagram | YouTube 💙

vídeos

Não tenho sorte com encomendas!

23/04/2017

Se tem uma coisa que eu não tenho sorte, é com encomendas. Muitas vezes, quando compro algo, elas não chegam, demoram, furam os prazos… ou seja, eu acabo ficando na mão.

Nesse vídeo, da série ‘desabafos da vida’, contei o meu último estresse. Vem ver:

***

Me acompanhe por aí: Facebook | Twitter | Instagram | YouTube 💙

 

vídeos

Vídeo: Tô de mau humor!!!

17/04/2017

Então, sabe aquele dia que tá dando tudo errado, e ainda acontece mais um monte de coisa pra te tirar do sério? Então, é exatamente isso que falo nesse vídeo – em particular, essa semana vai ser uma dessas, tô sentindo!

Vem ver esse vídeo desabafo sobre mau humor!

***

Me acompanhe por aí: Facebook | Twitter | Instagram | YouTube 💙

rolê gordo vídeos

Rolê Gordo: 1º Festival do Chocolate

12/04/2017

Olá, pessoas!

No último fim de semana (7, 8 e 9 de abril), aconteceu o 1º Festival do Chocolate lá no Passeio São Carlos! Como de praxe, comida e evento, Tico e eu marcamos presença por lá! :3

O festival contou com diversas opções de food trucks (hambúrgueres, açaí, churros, coxinhas, doces no geral…), além de um ambiente super agradável, arejado e tranquilo, uma ótima opção de entretenimento para famílias e amigos. Gravamos um “rolêzinho” gordo para vocês verem o que rolou de bom por lá! Vem ver:

 

Mais uma vez, gostaria de agradecer ao Beto, da Churrê e organizador do evento, pelo apoio!

***

Me acompanhe por aí: Facebook | Twitter | Instagram | YouTube 💙

textos

Qual é o problema do mundo?

11/04/2017

Nos últimos dias, vi muita gente compartilhando sobre violência e agressão. 13 Reason Why, José Mayer*, Marcos*… entre milhares de outras notícias que aparecem no nosso feed, na nossa frente, na nossa vida – fora as outras milhares que ocorrerem e que a gente nunca fica sabendo.

É triste e decepcionante ver que, em pleno 2017 e século 21 – depois de todas as lutas, batalhas, protestos e mais um monte de movimentos de conscientização -, a gente anda vivendo um retrocesso tão grande.

Bullying e violência contra a mulher estão cada vez mais em alta e isso é apavorante. Aliás, a mulher que luta por seus direitos e é taxada por conta do movimento é apavorante. É como se, na cabeça de muitos, só porque todas nós merecemos direitos iguais, só porque queremos sair na rua tranquilas, só porque queremos paz, isso fosse extremamente errado.

E o mesmo se aplica ao bullying. A pessoa não pediu pra nascer gorda, magra, vesga ou com qualquer outra característica que a torna diferente de você. E, AINDA BEM, que somos diferentes, né? Imagina que porre seria se todos fossemos iguais, fizéssemos as mesmas coisas, tivéssemos os mesmos pensamentos e as mesmas atitudes. Todo mundo, em algum momento da vida, já foi “zoado” por alguém na escola. A diferença é que, em alguns casos, a tal da “brincadeira” passou dos limites.

A grande maioria já ouviu apelidinhos que magoaram, que já te fizeram chorar escondido. A grande maioria, em algum momento da vida, já teve seu coração esmagado por uma grosseria gratuita. A diferença é que, para a vida de algumas pessoas, isso pode desencadear uma série de coisas ruins na vida. Toda brincadeira, quando passa dos limites, pode levar a acontecimentos ruins. “Ah, mas eu fui zoado na escola e não fiz esse escarcéu todo”. Que bom pra você, parça. Que bom que, pra você, não houve maiores consequências, não teve o psicológico fodido, não teve nem vontade de sair de casa.

Eu já ouvi muita merda na escola, desde quando era pequena; recebia apelidinhos referentes à comida, recebia bilhetinhos, quase todos os dias, com xingamentos dos colegas da classe, ouvia pessoas ao meu lado me ridicularizando por conta do meu estilo físico, por conta do meu peso. E, se bobear, até hoje, em determinados lugares e situações, as pessoas julgam, mesmo que em silêncio, mesmo que só por um olhar. Até hoje, tento me desvencilhar de tudo isso da melhor maneira que posso e consigo: provando que sou muito mais que esses julgamentos.

Sou o tipo de pessoa que sempre tenta extrair algo bom ou algum aprendizado em situações ruins. A mais recente, me fez parar e perceber que não temos o total controle da vida, mas que, sim, podemos fazer algumas coisas para mudar. Hoje, muitos da época do colégio que já falaram algo ruim de mim, acompanham meus trabalhos – seja aqui, no canal ou nas fotografias.

Em todos os casos de violência, a pessoa só quer paz. Paz de espírito, na vida, no coração. Muitos dos casos não são revelados, noticiados. Muitos acontecem ali, quietinho, em bilhetes, dedos apontados na cara, falta de respeito. E, em muitos casos, a pessoa quer mudar isso, quer sair dessa, mas, às vezes, nem apoio tem, já que a culpa é da vítima e ela deixou, ela se permitiu.

A culpa é da humanidade que tem um pensamento retrógrado e precisa achar mil e uma desculpas por toda violência que acontece. A culpa é simples e puramente de quem pratica os atos violentos, porque quis agir assim. Ponto final. A partir do momento que muitos entenderem isso, talvez, só talvez, a humanidade comece a progredir, a melhorar.

*Não acompanho a Globo, mas leio muitos sites de notícia. Impossível não ver o que tá rolando e todos estão falando.